17/01/2021

CONEXÃOJARU

CONECTADO COM VOCÊ(69)984310175

Rondônia: 2ª maior taxa de mortalidade infantil do país e registrado em Rondônia diz IBGE;

 

Estado tem uma taxa de 18,8 mortes para cada mil nascidos vivos. Média nacional é de 11,9 mortes.

Rondônia tem a segunda píor taxa de mortalidade infantil do país — Foto: Reprodução/RBS TV

Rondônia tem o segundo maior índice de mortalidade infantil, segundo a Tábua de Mortalidade, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (26) com dados de 2019. O estado apresentou uma taxa de 18,8 mortes para cada mil nascidos vivos, ficando atrás apenas do Amapá:

Estados com piores taxas:

  1. Amapá – 22,6
  2. Rondônia – 18,8
  3. Maranhão – 18,6

 

Do outro lado do ranking, com as melhores estimativas de vida para recém-nascidos, estão o Espírito Santo, com uma taxa de 7,8 mortes para cada mil nascidos vivos, Paraná, com taxa de 8,2, e Santa Catarina, com 8,4.

A média nacional é de 11,9 crianças mortas a cada 1 mil.

Expectativa de vida

O levantamento do IBGE também aponta que a expectativa de vida dos brasileiro aumentou mais de 31 anos entre os anos de 1940 a 2019. Na década de 40 os brasileiros viviam em média 45,5 anos, já em 2019 essa expectativa de vida passou para 76,6 anos, sendo que as mulheres têm uma expectativa maior, vivendo em média 80,1 anos, enquanto os homens vivem a cerca de 73,0 anos.

Já quando se fala de esperança de vida ao nascer, o estado de Rondônia é o terceiro pior em todo o país, ao lado de Roraima, com uma média de 71,9 anos. A melhor taxa de esperança de vida é a de Santa Catarina, com uma média de 79,9 anos.

  1. Maranhão – 71,4 anos
  2. Piauí – 71,6 anos
  3. Rondônia e Roraima – 72,4 anos
  4. Amazonas – 72,6 anos
  5. Alagoas – 72,7 anos